A Executiva Nacional do PT, a propósito da decisão do PSB de deixar de participar do governo federal, decide:

ESTRELA DO PT

A Comissão Executiva Nacional do PT, reunida em São Paulo no dia 23 de setembro de 2013, a propósito da decisão do Partido Socialista Brasileiro – PSB de deixar de participar do governo federal, decide:

1) reafirmar que tanto agora quanto nas eleições de 2014, está em jogo a mesma disputa de projetos que marcou as eleições de 2002, 2006 e 2010;

2) que, portanto, tanto no primeiro quanto no segundo turno, a disputa colocará os partidos em dois campos distintos: um deles representado pelos avanços promovidos pelos governos de Lula e de Dilma, e outro, representado pelos governos hegemonizados pelo PSDB, DEM e PPS;

3) neste sentido, esperamos que o PSB se mantenha ao lado do projeto de mudanças que estão em curso no País;

4) onde o PT decidiu participar de governos dirigidos pelo PSB, assim como onde o PSB participa de governos dirigidos pelo PT, deve prevalecer o debate programático, mantendo a diretriz de que os cargos estão sempre à disposição;

5) orientamos nossos diretórios municipais e estaduais, assim como nossas bancadas, a fortalecerem o campo democrático popular, que em 2014 deverá reeleger a companheira Dilma presidenta.

São Paulo, 23 de setembro de 2013.

Comissão Executiva Nacional do PT

Uma resolução histórica! Dia 11 de Julho todas às ruas!

 

A Comissão Executiva Nacional do PT, reunida em 4 de julho de 2013 em Brasília/DF, para avaliar a situação política nacional e o resultado das manifestações populares e da juventude que ainda estão em curso em todo o país,

SAÚDA

· o caráter progressista que se consolidou no rumo das manifestações em curso, com suas reivindicações políticas, econômicas e sociais profundamente identificadas com a trajetória e programa do Partido dos Trabalhadores e das forças que se uniram para governar o Brasil sob a condução da Presidenta Dilma

· a pronta disposição democrática da Presidenta Dilma, líder de uma das maiores democracias do planeta e a única, entre tantos Chefes de Estado que tiveram suas ruas tomadas por manifestantes populares e da juventude, a abrir o diálogo com estes e a responder de forma concreta aos seus justos clamores pelo aprofundamento das mudanças que o País vive nos últimos dez anos

· a iniciativa política do Governo de construir, com os movimentos sociais, o Congresso Nacional, o Poder Judiciário e as forças políticas democráticas uma agenda de alto nível sobre o presente e o futuro do Brasil, consubstanciada nos Pactos anunciados pela Presidenta Dilma e numa agenda legislativa há muito reclamada pela Nação

· a tramitação de importantes legislações constantes desta agenda nacional, entre elas a PEC do Trabalho Escravo, a destinação de recursos dos royalties do petróleo e do Fundo do Pré-Sal para a educação e a saúde, a criação do REITUP para baratear os custos das tarifas de transporte coletivo, entre outras, e a retirada de cena de projetos reclamados pela população, como a chamada “cura gay”.

· a entrada em debate de importantes matérias como o Estatuto da Juventude, o PL 4.471 (autos de resistência) e a criminalização dos corruptores em projeto de lei apresentado pelo Presidente Lula, bem como a adoção de medidas que visam ressarcir os cofres públicos dos prejuízos por estes causados à sociedade, que esperamos sejam aprovados no curto prazo. O PT se posiciona ainda contra a PEC 215, que visa transferir do Executivo para o Legislativo a demarcação de terras indígenas.

· a construção de crescente unidade na esquerda política, partidária e social da necessidade urgente de aprovação de uma verdadeira Reforma Política com Participação Popular e de um Plebiscito Nacional sobre os eixos fundamentais dessa reforma, pela qual há anos o PT e os movimentos sociais lutam no Congresso Nacional.

MANIFESTA

· o compromisso com a agenda de reformas democráticas e populares que podem dar sustentação política, econômica e social às respostas que vêm sendo dadas aos justos reclamos da população no que diz respeito à qualidade dos serviços públicos e consolidação da inclusão social de amplas maiorias.

· entre estas, o compromisso com uma Reforma Tributária que busque nas grandes fortunas e rendas de uma minoria os recursos que permitam a diminuição da carga tributária sobre a produção, a renda e o trabalho das amplas maiorias do pais.

· a convicção de que os mecanismos constitucionais e legais existentes para uma Reforma Urbana podem e devem ser utilizados para que as atuais políticas públicas de moradia, saneamento básico e mobilidade urbana estejam integradas com a sustentabilidade e a melhoria da qualidade de vida das nossas cidades

· o chamamento à imediata aprovação do marco civil da Internet pelo Congresso, garantindo os direitos de 80 milhões de internautas brasileiros e ampliando as potencialidades de toda comunicação em rede, tão utilizadas nas recentes manifestações em todo o país.

· a luta pela regulamentação dos dispositivos constitucionais que normatizam as comunicações do Brasil, tal como proposto pelo Fórum Nacional da Democratização da Comunicação, cujo abaixo-assinado assumimos em fevereiro.

· a defesa da imediata Reforma Política, com efeitos imediatos já para as eleições de 2014 e com resultados duradouros e estruturais definidos em uma Assembléia Constituinte Exclusiva sobre o tema da Reforma Política cuja convocação propomos seja submetida à consulta popular em Plebiscito.

ORIENTA

· as bancadas do PT na Câmara e no Senado a trabalharem pela coesão da base aliada da Presidenta Dilma no Congresso para a convocação no mais curto prazo do Plebiscito Nacional pela Reforma Política, priorizando entre os quesitos a serem incluídos na consulta popular os eixos de nosso Projeto de Lei de Iniciativa Popular: financiamento público exclusivo de campanhas; sistema proporcional com voto em lista partidária pré-ordenada e paridade de gênero; a ampliação da participação popular e dos mecanismos de democracia participativa já existentes; e a convocação de uma Assembléia Nacional Constituinte exclusiva para a Reforma Política.

CONCLAMA

· a militância do PT a continuar colhendo assinaturas para o nosso projeto de iniciativa popular, ombro a ombro com outras iniciativas da sociedade civil que caminham no mesmo sentido (como a Plataforma dos Movimentos Sociais para a Reforma Política, o MCCE, a OAB, a CNBB, entre outras valorosas instituições), intensificando o ritmo da coleta de assinaturas para que incidam positivamente no debate no Congresso Nacional sobre o tema.

· a militância petista nos movimentos sociais a que assumam decididamente a participação nas manifestações de rua em todo o país, em particular no Dia Nacional de Luta com Greves e Mobilizações convocada por ampla coalizão de centrais sindicais e movimentos populares para o próximo dia 11 de julho, em defesa da pauta da classe trabalhadora para o país e da Reforma Política com Participação Popular.

· os partidos democráticos e populares, centrais sindicais e movimentos sociais que vêm se articulando de forma importante ao longo das últimas semanas para colocar na rua a pauta das transformações sociais do país que sempre nos unificou a debater a reconstituição do Fórum Nacional de Lutas como espaço de diálogo permanente, construção de unidade e articulação de lutas sociais e institucionais.

· os filiados e filiadas ao Partido dos Trabalhadores em todo o Brasil para que intensifiquem os preparativos para um grande Processo de Eleições Diretas (PED) a ser realizado entre os meses de julho e novembro, com ampla mobilização e empenho no debate político dos temas de nosso V Congresso do PT, de modo a demonstrar a toda a sociedade brasileira que nossas bandeiras de democratização e participação popular em nosso projeto de Reforma podem e serão vividas nas relações internas do PT, construindo e fortalecendo nossa unidade de ação.

e CONVOCA

ü + Reunião do Diretório Nacional do PT para o dia 20 de Julho.

ü Reforma Política com Participação Popular

ü Plebiscito Já

ü Eleições de 2014 regidas pelas novas regras da Reforma Política

ü Todo apoio ao Dia Nacional de Luta com Greves e Mobilizações de 11 de Julho

Brasília, 04 de julho de 2013.

Comissão Executiva Nacional do Partido dos Trabalhadores

Plenária de novos filiados na Câmara de S. Francisco

ESTRELA DO PT

.

Estaremos realizando neste domingo, 24 de março, 14:30 h, no Plenário da Câmara Municipal de São Francisco, a reunião Plenária Semestral de Novos Filiados. Contamos com sua presença, que nos termos dos Estatutos do PT, é muito importante.

 

Fraternalmente,

 

Aparecida Chorro Esteves de Moura

Presidenta do Diretório Municipal

O ENCONTRO MUNICIPAL DE 2012

Foram intensos os debates travados no encontro. Ao final a militância decidiu com 96% dos votos pela coligação com a oposição na eleição majoritária e lançamento de chapa própria do Partido dos Trabalhadores para Vereadores. O número de filiados presentes superou mais de 60% dos PeTistas aptos à votar.

O dado novo criado pelo lançamento da candidatura unitária da oposição ao Projeto de continuidade Demonotucano é, que pela primeira vez, a eleição já começa polarizada. E resultou no lançamento da Carta aberta.

Carta aberta ao povo de São Francisco.

 

Pedimos um momento de sua atenção. Aproximam-se as eleições 2012. Nosso objetivo é apresentar nosso olhar, propor algumas reflexões.

O Partido dos Trabalhadores – PT, através do Presidente Lula e agora da Presidenta Dilma, vem governando nosso país cumprindo os compromissos históricos de combate à pobreza, de resgate da esperança de um futuro melhor para nossos filhos, e de um presente melhor para todos. Defendemos nosso povo, um povo pobre e trabalhador, que todos tenhamos respeitados nossos direitos.

As forças conservadoras brasileiras estão organizadas na oposição ao Governo Dilma, especialmente no PSDB (tucanos) e no DEMOCRATA – DEMO, e buscam a retomada do projeto neoliberal, que favorece aos grandes e penaliza os humildes, serve aos interesses estrangeiros em detrimento da soberania nacional. São chamados corretamente de capitalistas, pois servem aqueles que têm capital, os grandes.

São Francisco tem sido governado pela elite conservadora DEMOTUCANA. Ora se xingam, ora se juntam, ao sabor de suas próprias conveniências e interesses. O povo precisa sair em busca de trabalho, do pão digno, fora de São Francisco. Enquanto isso meia dúzia de famílias enriquecem cada vez mais e controlam o Poder Público na cidade.

Na eleição majoritária (Prefeitura) unimos nossas forças e perfilamos com a oposição em São Francisco. Nossa coligação, Administração Popular São Francisco para Todos é formada pelo PT, PSD, PSB, PTB e PP. Todos são partidos da base aliada do Governo Dilma. Apoiamos como candidatos Mauricio e Adão Baiano para prefeito e vice, com o número 55.

Na eleição para a Câmara Municipal (proporcional) nos apresentamos com cinco candidatos próprios do PT – 13, sem coligação. Nossos candidatos são o Dioniso do Conselho Tutelar, a Nair do Biscoito, o Nairço da Boiadeira, a Vera do Chocolate e a Vergínia… a turma do 13.

Pedindo sua licença para, olho no olho, apresentarmos nossas propostas, em sua residência. Desejamos que nossa cidade possa progredir e distribuir renda, melhorar, assim como o Brasil está progredindo. Propomos que o povo de São Francisco ajude ao Governo Dilma e aceite ser mais ajudado pelo Governo Federal.

Não venda ou troque seu voto por favores. O voto não tem preço, tem conseqüências. Vote PT, Vote 13.

DEZEMBRO de 2011: ENCONTRO MUNICIPAL EXTRAORDINÁRIO.

A fibra dos Petistas está bem simbolizada nas fotos abaixo.

A chapa única da EPS – Esquerda Popular Socialista – PT foi aclamada por unanimidade em processo que teve a participação de ampla maioria dos militantes PeTistas, com apoio do Dito da CNB. A companheira Dª. Cida (Aparecida Chorro Esteves de Moura) foi eleita a primeira mulher a presidir o DM do PT de São Francisco, os suplentes foram empossados na titularidade do DM e a CEM foi recomposta.

Intenso trabalho de reconstrução resultou em dobrar o número de filiados em menos de 6 meses. São Francisco passou a ter atuação regional e pela primeira vez na história o Noroeste Paulista participou dos Encontros Sertoriais Estaduais.

TRAIDORES E VENDILHÕES FORAM DERROTADOS.

Em setembro de 2011 o DM – Diretório Municipal se reuniu e deliberou por afastar o Presidente, Donizete Trombini e instalar o processo de expulsão por infidelidade partidária. Nas eleições de 2008 ele comandou um grupo de militantes que traiu a candidatura própria do PT apoiando o candidato do PPS, Reinaldo.  A solidariede de um grupo do PT estadual o salvou da expulsão pela Comissão de Ética Estadual e ainda reuniu as condições da disputa o PED 2009 onde foi  eleito presidente com 1% de diferença para a então candidata da Esquerda Socialista, Verginia Rocha.

O traidor Donizete Tromboni contiunuou atuando da mesma forma, mesmo exercendo a Presidencia do PT. Foi necessária a autoconvocação do DM para a primeira reunião reunião acontecer em 2010. Na ocasião o Presidente informou que o PT iria lançar chapa camarão, sem candidato à Prefeito, liberando os candidatos à Vereador para firmar acordos com quem bem entendessem. Foi contrariado frontalmente pelos membros do DM e ficou claro que não teria apoio para seu projeto. Nunca mais ele participou de uma reunião do PT.

Tromboni firmou acôrdo informal com o Prefeito Municiapal, do DEMo, e passou a procurar pelos filiados que passaram a ser convidados para abandonar ao PT.  O projeto dele era formalizar a saída do PT no ultimo dia para a submissão de novos filiados à Justiça Eleitoral. Trabalhou para acabar com o PT, inviabilizar qualquer possibilidade do Partido dos Trabalhadores existir no processo eleitoral 2012.

Ao ser notificado de seu afastamento da Direção Municipal do Partido, Donizete Tomboni não se defendeu e antecipou seu pedido de saída do PT, desta forma foi expulso, mas saiu antes de ser notificado da expulsão.  Apesar de mais esta dificulde, em 48 horas dezenas de novos filiados foram inscritos o balanço em outubro foi de 14 desfiliações contra 20 novas filiações.