Concentração popular prepara a comemoração da vitória sobre os Demotucanos em Sâo Francisco.

Logo no iníco da tarde a população começou a chegar para a comemoração.

De forma ordeira a população de São Francisco se manifestou alegremente pela vitória da coligação Administração Popular, São Francisco para Todos (PSD – PTB – PT – PSB – PP).

Tanto militantes, quanto a gente simples da cidade com suas famílias e bandeiras feitas em casa foram se juntando e o sentimento de alívio e felicidade  unia a todos.

A Famosa Égua Estrela e sua charrete atropelou e deu PT (Perda Total) em três Toyotas Hilux em São Francisco

Enquanto a campanha Demonotucanalha do 25 contou com várias caminhonetes Toyota Hilux, com som moderno,  foi concebida por agência de publicidade a campanha da coligação Administração Popular,  São Francisco para Todos teve o apoio do Sr. Israel que com sua charrete de som, puxada pela Égua Estrela que divulgou as candidaturas de oposição.

A famosa éguinha Estrela foi epelidada por um jornal da região como “A Amarok de São Francisco que atropelou 3 Hilux””

Um dos símbolos da campanha vitoriosa, a eguinha Estrela, representa bem a luta dos pequenos, dos simples e humildes, do tostão contra o milhão.

Da esquerda para a direita, o Prefeito eleito Mauricio, o dono da Estrela Seo Israel, e Adão Baiano vice prefeito eleito.

Coligação Administração Popular / São Francisco para Todos vai comemorar vitória com festa para as crianças

Eleitos pelo povo como Prefeito e Vice, Mauricio e Adão Bahiano reuniram no dia 10 de outubro todos os candidatos e militantes da campanha. A reunião foi na casa do prefeito eleito, Mauricio.

Os objetivos foram a organização das comemorações da vitória e a realização de uma confraternização oferecida pelos eleitos a todo o grupo. Os debates foram breves e ficou decidida a comemoração no dia 12.  No dia das crianças, dia Santificado à Padroeira do Brasil, Nª Srª Aparecida. Ficou estabelecido que, em mutirão encabeçado pela futura Primeira Dama, com parte das cabeças de gado ganhas para a comemoração,   seriam produzidos lanches para as crianças e para a população em geral. Refrigerantes e sorvetes tambem serão distribuidos e não se servirá bebidas alcoolicas.

Com a aprovação de todos foi proposto que o convite fosse feito no dia 11 pelo carro de som. Todos serão convidados a participar da comemoração, independente da preferencia política de cada um manifestada nas eleições, inclusive aqueles que foram candidatos na coligação demonotucana derrotada nas urnas.

No dia 12, a concentração será em frente à casa do Prefeito eleito, de onde sairá a carreata, que seguirá a já famosa charrete usada na campanha  como carro de som, em busca da imagem de Nª Srª Aparecida que seguirá à frente de todo o percurso na cidade, e que ao  final da carreta será feita uma oração em agradescimento e pedindo proteção para a população e para os eleitos. Foi decidido tambem, convidar as lideranças de todas as designação religiosas no município dando um caráter ecumênico ao ato, sem a exclusão de ninguem.

Ao final da reunião, Prefeito e Vice eleitos, reafirmaram o compromisso assumido de governar para todos, sem qualquer tipo de perseguição aos adversários políticos e pediram o apoio dos presentes para a tarefa de desmentir a serie de boatos que está sendo espalhada com o objetivo de tirar a tranquilidade de vários cidadãos de São Francisco.

Terminada a reunião a Primeira Dama convidou a todos para o jantar de confraternização que foi imediatamente servido em clima de confraternizção com muita harmonia e felicidade de todos.

INFIDELIDADE: Vice Prefeito, Saulo Barreto é cassado por unânimidade pelo TRE – SP

Publicado em 20/08/2012 por murilopohl

Saulo Barreto foi cassado por infidelidade partidária. A história recente tem demonstrado que fidelidade não tem sido uma das características mais valorizadas pelos políticos locais. Quem ontem se agredia verbalmente hoje anda de mãos dadas. Hoje, ao menos, ainda que lentamente, a tímida evolução da legislação eleitoral começa à impor alguma ordem. Esperamos que a tão protelada reforma política acelere este processo.

Ainda no campo da evolução da legislação, permanecem dúvidas. Visto que o infiel  cidadão cassado em questão, Saulo Barreto, é agora candidato a vereador. Considerando que cabe recurso ao TSE. Considerando que uma vez apresentado o recurso são pequenas as chances de julgamento antes de 7 de outubro. Inúmeras dúvidas decorrem quanto às possíveis conseqüencias de uma eventual confirmação da sentença em Brasília.

Vejamos algumas dúvidas. Em se confirmando a sentença, alem da perda do mandato de vice, que termina em mais 4 meses, perderá tambem o cidadão em questão os direitos políticos por quanto tempo? A pena aplicada atingiria eventual mandado que o mesmo viesse a conquistar nas urnas agora? Em atingindo, os votos eventualmente obtidos agora, serão declarados nulos para efeito de calculo de cadeiras conquistadas pelo seu atual partido?

Por hora veja a notícia publicada no sitio do TRE- SP, que abaixo reproduzimos.

TRE-SP cassa 2 vice-prefeitos e 5 vereadores
do interior por infidelidade partidária

O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) cassou ontem (16), por infidelidade partidária, o mandato de diversos parlamentares do interior (veja lista abaixo). Os juízes determinaram também a expedição de ofício às respectivas Câmaras Municipais para empossar os suplentes no prazo de 10 dias da publicação da decisão. A votação foi unânime.

São eles:

Vereadores
Vice-prefeitos
Júlio Gonçalves de Melo
DEM de Sandovalina
Marcos Antônio Silveira
DEM de Tarumã
Pedro Donizetti de Godoy
PSB de Tuiuti
Saulo Inácio Barreto
PMDB de São Francisco
Robson Donley
PSB de Borá
Ronaldo Rufato
PT de Iacanga
Solange Rodrigues de Araujo Ramos
PV de São Sebastião

A corte paulista entendeu, em todos os casos, que não houve grave discriminação pessoal ou desvio reiterado do programa partidário alegados pelos políticos cassados como justificativa para a desfiliação. As hipóteses previstas na Resolução TSE 22.610/07 elenca apenas quatro possibilidades para a mudança de partido: em caso de fusão ou incorporação por outro, se houver criação de nova agremiação, mudança substancial ou desvio do programa partidário, ou ainda se ocorrer grave discriminação pessoal do mandatário.

De cada decisão, cabe recurso ao TSE.